Afinal, como curar cólica de bebê?

4 minutos para ler

Criar uma criança é uma responsabilidade imensa, afinal aquele ser fica totalmente dependente de você até uma certa idade. É necessário alimentar, limpar e até mesmo saber lidar com as doenças que podem surgir. Um dos desafios dessa fase é saber como curar cólica de bebê, você já teve que lidar com ela?

Não é fácil, nós sabemos e traz muitos incômodos para quem está sentindo. Eles podem demonstrar sintomas como o franzimento da testa, choro constante e bastante agudo. Mas existem dicas e ações que podem ser feitas para amenizar e até mesmo evitá-la!

Quer saber como curar cólica de bebê? Então continue com a leitura. Neste texto falamos sobre o que é, quais são os sintomas e separamos cinco dicas de como curar a cólica do bebê! Acompanhe e descubra.

O que é a cólica de bebê?

Essa é uma síndrome comportamental que está associada à irritabilidade e ao choro da criança. Quando sente o desconforto, grita ao ponto de ficar com o rosto vermelho e, geralmente, encolhe as pernas. A sensação é que ele fica totalmente inconsolável, o que acaba deixando os pais desesperados.

O problema se manifesta como uma forte choradeira, estridente e muito crescente. O neném começa a se esticar, muda as feições do rosto, costuma virar a cabeça para os lados e se encolher. Uma outra característica é que geralmente elimina os gases durante o choro e isso é até bom, traz um alívio.

Quais as suas principais causas?

Este é um tema ainda delicado na medicina, pois não existe um consenso quando se trata do que pode vir a causar a situação. Alguns acreditam que pode estar relacionado à alimentação da mamãe, outros já acham que nesta fase podem apresentar uma imaturidade intestinal ou até mesmo a intolerância a alguma substância. Porém, a Sociedade Brasileira de Pediatria destaca algumas causas como:

  • sistema digestivo em desenvolvimento;
  • situações como o refluxo;
  • gases gerados a partir da alimentação da mãe;
  • super estímulos por ambientes diferentes que deixam o bebê agitado;
  • alergias alimentares, como problemas com lactose.

Como lidar com ela?

Agora que já sabe o que é e quais são as possíveis causas, é hora de saber como curar a cólica do bebê. São ações como massagens, banhos, compressas e probióticos que vão ajudar a aliviar as dores do seu neném e, com certeza, vão deixar você e sua família mais tranquilos.

Controle a alimentação

Alguns pediatras aconselham as mamães a evitarem alguns alimentos que podem ser prejudiciais a digestão do recém-nascido. Portanto, pelo menos nos primeiros meses, é bom não comer nada com corantes ou muito industrializados, pois eles podem gerar a temida dor.

Dê um banho quente

Prepare uma água de morna a quente, com a temperatura entre 36 e 37 graus. Procure deixar o ambiente calmo e coloque uma música relaxante, pois as ações vão tranquilizá-lo.

Coloque uma compressa

Passe a ferro uma fralda ou esquente uma compressa de água para colocar na barriga da criança. O calor ajuda na vasodilatação, facilitando o fluxo do sangue e relaxando a musculatura, diminuindo assim o desconforto no abdômen.

Faça uma massagem

Uma das formas de curar cólica de bebê é pegar um óleo corporal específico e fazer uma massagem na barriga dele. Faça movimentos circulares, bem de leve, no sentido horário e mantenha as mãos em forma de concha. A ação pode ser feita até como prevenção a qualquer hora do dia.

Invista em remédios

Existem remédios mais naturais, como os probióticos que podem ser dados para o neném para combater e até prevenir o mal-estar. Porém, antes de qualquer medicação, é importante consultar o médico para ficar mais segura.

Com este texto queremos mostrar que existe sim solução para curar a cólica de bebê. Esse é um desconforto normal nos primeiros meses da criança, mas é essencial que os papais mantenham a calma, até porque, isso pode influenciar nas dores dele.

Siga as dicas, procure por métodos reconhecidos e, principalmente, esteja sempre em contato com o médico pediatra para saber quais as melhores recomendações.

Gostou das dicas? Então compartilhe a informação nas suas redes sociais. Quem sabe você não ajuda a tirar as dúvidas de outros papais, não é mesmo?

Você também pode gostar

Deixe um comentário