Entenda como se forma o leite materno

4 minutos para ler

Inchaço, enjoos, aumento do sono, necessidade de ir ao banheiro mais vezes, sensibilidade nos seios, todas essas são mudanças que ocorrem no corpo da mulher durante a gestação. Sabendo disso, já se perguntou como se forma o leite materno?

Essa dúvida é comum entre diversas grávidas, principalmente as de primeira viagem. É por isso que, neste post, vamos explicar como se dá a produção do leite no corpo da mãe. Acompanhe e saiba mais!

Como se forma o leite materno?

Um dos locais que mais sofrem mudanças durante a gravidez são os seios. Isso porque o seu corpo está naturalmente se ajustando para que tudo esteja favorável à amamentação, quando o bebê vier ao mundo.

O aumento da produção do leite ocorre aproximadamente 48 horas após o nascimento do bebê. Mas você sabia que as suas mamas já se prepararam para esse momento desde a sua sexta semana no ventre de sua mãe? Os ductos mamários se formam ainda no embrião, e são os principais responsáveis por conduzir o leite para fora.

As mamas têm diversos componentes, entre eles, os alvéolos, responsáveis pela liberação do leite, e os músculos, que estimulam a excreção do líquido ao se contraírem. Além disso, é comum surgir algumas bolinhas em volta da auréola do seio, cuja principal função é proteger a região de infecções.

Todas essas estruturas colaboram para a amamentação de seu bebê. A seguir, confira como os hormônios ajudam na produção do leite materno e entenda também o que é o colostro.

Hormônios

Durante a gravidez, a placenta é responsável por estimular a progesterona e o estrogênio, que contribuem para deixar tudo pronto para a lactação, futuramente. Quando ela é retirada, durante o parto, há uma queda desses hormônios, enquanto outros começam a aumentar, esse é o caso da prolactina e da ocitocina.

Prolactina

Esse é o hormônio encarregado de promover a produção de leite nos alvéolos, de acordo com a amamentação, estimulando também a circulação de sangue, a fim de deixar a região mais cheia — essa é a razão pela qual a área pode ficar dolorida nos primeiros dias.

Desse modo, quanto mais o bebê mama, mais o alimento materno é produzido. No entanto, quando o leite fica acumulado nos seios, a produção pode cair — isso pode ocorrer tanto nas duas mamas, quanto em apenas uma.

Ocitocina

Outro hormônio importante para esse processo é a ocitocina. Ela ajuda a contrair os músculos da região, fazendo com que os alvéolos liberem o leite materno para os ductos. Ambas as substâncias são estimuladas quando o bebê faz o movimento de sucção no mamilo. 

Esse é o mesmo hormônio que promove as contrações na hora do parto. Por essa razão, é comum que algumas mulheres sintam uma pressão no abdômen nos primeiros dias de amamentação. Porém, é apenas a ação da ocitocina para que o útero retorne ao seu tamanho usual.

Primeiro leite

O primeiro leite que amamenta o bebê, na verdade, não é leite. Trata-se do colostro, um líquido que oferece anticorpos e proteínas para o recém-nascido, estimulando o seu sistema imunológico.

Nos primeiros dias pós-parto, o líquido sairá das mamas com uma coloração transparente e viscosa, por se tratar do colostro. No entanto, conforme a amamentação segue o seu fluxo, o leite materno começa a ser produzido em larga escala.

Ler como se forma o leite materno é importante para entender as alterações que ocorrem em seu corpo, tal como a diferença do primeiro líquido da amamentação. Além disso, ajuda a tranquilizá-la ao saber que o seu corpo naturalmente está preparado para atender às necessidades de seu bebê.

Ficou com alguma dúvida em relação ao assunto ou tem alguma sugestão para se adaptar à amamentação? Então deixe um comentário que logo responderemos!

Você também pode gostar

Deixe um comentário