Moleira do bebê: como funciona e para que serve?

3 minutos para ler

Um dos momentos mais esperados durante a gestação é o nascimento do seu bebê. Apesar da ansiedade e felicidade pela vinda do tão esperado, sabemos que o parto em si não é o momento mais prazeroso, tanto para a mãe quanto para o filho.

E uma das curiosidades mais fantásticas do corpo humano é o formato da cabeça do bebê: ela vem mais molinha e preparada para o pequeno vir ao mundo. O fato de a estrutura ser sensível e mole é devido à existência das moleiras, que devem receber uma atenção especial durante os seus primeiros meses de vida.

Com isso, preparamos um guia para você saber o que é, para que serve, em que momento ela se fecha e quais cuidados tomar com a moleira do bebê. Confira abaixo e sinta-se seguro para a vinda do seu filho!

O que é a moleira?

Apesar de o seu nome ser popular, cientificamente chama-se fontanela. A moleira é uma parte sensível que fica no topo da cabecinha do bebê e também é localizada na parte de trás da cabeça.

Para que serve a moleira do bebê?

Essas regiões mais sensíveis e molinhas na cabeça do bebê são essenciais no momento do nascimento. Elas existem para permitir a movimentação dos ossos, proporcionando maior facilidade para a vinda dele ao mundo.

Assim como cada detalhe do corpo da criança, o crânio também está em fase de aprimoramento. Portanto, em um determinado momento, com o crescimento dos ossos, esses espaços vão requerer atenção e cuidado e se fecharão naturalmente.

Em qual momento a moleira se fecha?

A moleira, localizada na frente da cabeça, demora mais tempo para fechar, por ter seu tamanho um pouco maior. E esse processo costuma durar de 12 a 18 meses. A moleira da parte posterior, leva, na maioria das vezes, apenas 2 meses para se fechar.

O intervalo entre o fechamento das duas pode variar. Mas não se preocupe! Até o bebê completar 2 anos ele já terá a sua cabecinha firme com a perfeita formação do crânio. Caso você perceba que essa região se formou antes do tempo previsto, entre em contato com o pediatra, pois essa pode ser uma característica de má formação.

Quais cuidados devemos ter com a moleira do bebê?

O primeiro passo a se seguir para acompanhar o processo do fechamento da moleira é frequentar o pediatra mensalmente a fim de realizar uma avaliação e conferir se não há deformidade. E para a sua tranquilidade, preparamos uma lista de cuidados especiais da moleira para você ter na rotina com o seu bebê. Confira a seguir!

  1. Olhar sempre a moleira para verificar se há alguma anormalidade;
  2. lavar a cabeça do bebê com suavidade;
  3. passar a mão com leveza, evitando apertar a moleira;
  4. evitar o uso de acessórios, como arcos e bonés.

Além desses cuidados, é importante mencionar que existem momentos em que a moleira vai pulsar com mais pressão. Mas isso é totalmente normal! Acontece quando o bebê realiza algum esforço, como chorar.

Agora que você está preparado para cuidar de uma das partes mais sensíveis e importantes do seu filho, aproveite para conferir no nosso blog a lista das melhores banheiras que garantem a segurança e conforto para o corpinho do seu filho. 

Você também pode gostar

Deixe um comentário