6 dicas para pai de primeira viagem

7 minutos para ler

Ser pai de primeira viagem é uma experiência extraordinária. Ter o primeiro filho é uma sensação nova, que traz diversas responsabilidades, mas que proporciona uma longa jornada de amor e cuidado.

Assim como as expectativas para a vinda do primeiro filho são altas, as dúvidas e inseguranças crescem nesse momento. Afinal, qual é o papel do pai na criação de uma nova vida?

Neste post, vamos dar algumas dicas para lidar bem com a chegada do bebê, mostrando quais atitudes o pai pode tomar para criar intimidade com o seu filho. Acompanhe e saiba mais sobre o assunto!

Pai de primeira viagem: o que esperar?

Muitos pais não sabem muito bem o que esperar do primeiro contato com o filho. Afinal, é um momento tomado por muitas emoções. Nessa hora, o fundamental é se apresentar ao bebê, mostrando que ele pode contar com você para o que for preciso. Por isso, é importante que o pai não segure a emoção e se sinta à vontade para tocar o bebê, abraçá-lo, aninhá-lo, fazê-lo dormir e observá-lo por quanto tempo quiser.

O recém-nascido já está acostumado com a mãe, pois passou cerca de nove meses em sua barriga, ouvindo o seu coração e a sua voz. Portanto, é natural que ele se sinta mais confortável, de início, com o colo materno. No entanto, isso não impede o pai de criar um vínculo com o seu filho logo nos primeiros minutos de vida. Essa tentativa é importante pois mostra para o bebê, que ainda está conhecendo o mundo, quem são os seus responsáveis e com quem ele pode se sentir seguro.

Nesse momento, é esperado também que a parceira esteja diferente, pois existem diversas alterações no corpo e ela também está passando por um processo de adaptação. Por essa razão, é fundamental que o pai tenha paciência com o resguardo da mãe e vista a camisa para assumir os cuidados com o recém-nascido: dar banho, trocar a fralda, intercalar as noites (principalmente quando há choro), entre as outras atividades. Tudo que não envolva a amamentação deve ser bem dividido entre os pais.

É interessante também se responsabilizar pelas atividades domésticas, por receber as visitas e por ajudar o máximo possível nos cuidados com o bebê. Oferecer esse suporte para a parceira é necessário para o relacionamento se manter saudável e para que ela se sinta mais confiante para cumprir o papel de mãe — afinal, não são apenas os pais que se sentem inseguros nessa fase.

O que fazer no dia a dia com o primeiro filho?

Sabendo o que o pai pode esperar durante os primeiros momentos com o filho, chegou a hora de entender melhor o que ele pode fazer para contribuir para a criação do pequeno, desde o início. Confira 6 importantes dicas!

1. Participe da vida do seu filho desde a gestação

É imprescindível lembrar que a existência do bebê se dá muito antes do seu nascimento. Ou seja, antes que ele chegue ao mundo, ele já é o seu filho e é importante participar de todo o seu desenvolvimento.

Sendo assim, acompanhe a sua parceira no pré-natal, sinta o ventre e converse com o bebê dentro da barriga — a partir da 16ª semana de gestação, ele já começa a distinguir sons e, aproximadamente, depois da 24ª semana, consegue responder a eles.

Depois do nascimento, como visto, é a hora de começar a estabelecer um vínculo com o seu filho, permitindo que ele o conheça melhor e passe a confiar em você tanto quanto confia na mãe.

2. Converse com o bebê

Falar com o bebê na barriga é uma maneira de fazer com que ele o reconheça mais facilmente após o nascimento. Mas esse diálogo deve continuar depois do parto. Ainda que o seu filho não consiga compreender as palavras, é interessante que ele se acostume com a sua voz.

Por isso, não tenha vergonha de falar coisas aleatórias com o bebê, pois isso ajuda a fortalecer o relacionamento e a relação de confiança entre pai e filho. Aproveite os momentos de banho, alimentação e antes de dormir para isso.

3. Entenda as necessidades do seu filho

Como você viu, no início, é normal que o bebê prefira ficar perto da mãe, pois é uma figura já conhecida por ele. Entender as necessidades do seu filho, tal como as suas preferências, sem julgamento, é outra atitude importante.

Como o bebê já tem laços com a mãe, construídos durante a gestação, e depende exclusivamente dela para se alimentar, muitas vezes, ele vai se sentir mais calmo na presença dela. No entanto, isso não significa que ele não gosta do pai e a compreensão em relação às suas necessidades vai facilitar muito a relação com o filho, mesmo nos primeiros meses.

Além disso, uma dica para aumentar a proximidade com o recém-nascido e fazer com que ele identifique que você também é responsável pelos cuidados dele é pressionar levemente o bebê contra a pele. O ideal é fazer isso sem camisa, para que ele possa sentir a sua temperatura e ficar mais confortável. Criar esse hábito desde os primeiros dias vai fazer toda a diferença na confiança do seu filho.

4. Brinque com o bebê

Quem não gosta de ouvir a risada de um bebê? Brincar com o seu filho também é importante para construir uma relação saudável e fazer com que ele veja você como uma figura de confiança. Além do mais, isso ajuda a relaxar o pequeno e a fazer com que ele durma com mais facilidade.

5. Coloque músicas

A música é um ótimo estímulo para o desenvolvimento do bebê. As melodias ajudam a trabalhar as capacidades cognitivas, emocionais, perceptivas e motoras do pequeno, além de promover o relaxamento.

Por esse motivo, experimente colocar músicas para o bebê ouvir e observe a sua reação — caso ele se sinta incomodado, tente trocar de ritmo musical. Vale a pena também cantarolar músicas, principalmente na hora de dormir. Assim, ele ficará mais calmo, não apenas por conta da melodia, mas também por ouvir uma voz familiar.

6. Adapte a sua rotina

Um dos primeiros pensamentos de um homem ao saber que vai ser pai é trabalhar mais para assegurar que não falte nada para a família. No entanto, é importante ponderar a vida profissional com a pessoal, a fim de que seja possível acompanhar o bebê desde os seus primeiros momentos.

Por isso, tente manter uma rotina equilibrada, que lhe permita descansar, cuidar da sua família e continuar em busca dos seus objetivos de carreira. Além disso, os momentos de lazer vão precisar de ajustes, pois agora eles seguirão os horários do bebê e as suas necessidades.

Apesar de ser uma grande responsabilidade, ser pai de primeira viagem não é um bicho de sete cabeças. Ao focar em criar um relacionamento paciente com o filho e com a parceira, a adaptação à nova realidade se torna intuitiva. No entanto, lembre-se sempre de manter o equilíbrio no dia a dia para que essa experiência seja muito mais prazerosa.

Gostou do post? Quer continuar lendo mais sobre o assunto? Então aproveite e tire as suas dúvidas em relação ao sono do recém-nascido!

Você também pode gostar

Deixe um comentário